RendaLab

O primeiro passo…

Antes de mais nada, quero explicar o porquê eu começo essa jornada.

Pode ser que você se identifique com algum ponto da história. Neste caso, lhe convido a acompanhar de perto os meus passos por aqui.

E também a compartilhar os seus. Juntos,  podemos alcançar degraus mais altos, sem contar que o caminho fica muito mais agradável ????

Um pouco de história

Tudo começou lá em 2007…

Foi quando eu tive a minha primeira experiência profissional: um estágio. Apesar do início ter sido desafiador e interessante, depois de alguns meses eu comecei a perceber que algo estava errado.

Na época, achei apenas que devia ser algo com a empresa, ou indo além, com a área que havia escolhido.

Mudei de emprego, mas não de problemas. Rapidamente comecei a me sentir “peixe fora dágua” no novo trabalho também.

Mais um ano e meio se passou e troco novamente de trabalho.

A história vai se repetindo, em lugares diferentes, mas com tema recorrente.

Levou muito tempo até eu começar a perceber o que estava acontecendo. Eu tentava e me cobrava pra me encontrar profissionalmente, até que passei a compreender um pouco mais a situação.

Trabalhar em uma empresa, com carteira assinada, horário pra entrar e sair (esse nem sempre), e alguém acima de mim com o poder de decidir se no dia seguinte eu continuaria empregado ou não, simplesmente não era pra mim.

O problema não estava nas empresas pelas quais passei. Nem nas tarefas que tive que realizar, nem sequer no modelo de trabalho.

O problema estava no fato de que aquilo era incompatível com o que eu queria pra mim. Incompatível com o desenho que eu queria fazer pra minha vida.

A gente tem esse poder, sabia? Temos em nossas mãos o lápis e o papel, e somos livres pra fazer qualquer desenho dela.

O problema é que tem tanta pressão externa pra que nosso desenho seja igual ao de todos, que é muito difícil quebrar essa expectativa.

Nós somos ensinados pela escola, pelos nossos pais, amigos, e pela sociedade em geral, que só há um tipo correto de desenho.

Devemos estudar, passar numa boa universidade, e conseguir um bom emprego. Que garanta segurança, pague nossas contas no final do mês, e ainda nos leve pra viajar uma vez por ano.

Não há nada de errado em desenhar a sua vida dessa forma. Mas é importante que isso seja feito porque é o que você quer, não o que os outros esperam de você.

Está gostando deste texto? Cadastre-se na lista VIP do RendaLab pra receber muito mais:

Sem spams, só coisa boa!

Mas enfim… depois de algum tempo, eu compreendi….

Compreendi que trabalhar dessa forma não era o que eu queria. Não me fazia feliz. Nem realizado. Nem bem sucedido. Nem seguro.

É verdade que pagava minhas contas no final do mês, e me levava pra viajar uma vez por ano. Mas em troca, eu me sentia sem motivação, sem perspectiva, sem vontade de acordar na segunda feira…

Qual o sentido desse desenho?

Eu queria algo diferente. Eu queria trabalhar nos meus projetos, ajudar pessoas, fazer coisas que fossem relevantes pra mim.

Não queria contribuir pra enriquecer quem já era rico.

Eu queria criar ideias. Eu queria ter liberdade pra ficar em casa se um dia decidisse não trabalhar. Ou pegar a estrada e ir pra praia numa terça-feira e voltar na quinta, mesmo que isso significasse trabalhar depois no final de semana.

Eu queria sentir a emoção de ver um projeto, fruto dos meus sonhos, se realizando e quem sabe ajudando alguém.

Eu queria ter tempo de ver a vida acontecer. Curtir família, amigos, eventos, natureza e música.

Acho importante deixar claro que a ideia não é ficar ocioso o dia todo. Nunca foi isso.

A ideia é trabalhar e viver, ambos em harmonia. Fazer do trabalho parte integrante da minha vida, em oposição ao trabalho que decide quando eu posso sair com os amigos, ou tirar uns dias pra viajar.

Percebi que queria ser mais autônomo, depender menos de um chefe, de uma empresa pra dizer qual horário posso ou não posso fazer minhas coisas.

E também de fazer um trabalho que, de fato, faça do mundo um lugar melhor. Mesmo que só no alcance das pessoas mais próximas a mim.

O primeiro passo: Surge então o RendaLab

Por isso estou começando o RendaLab. Quero me especializar negócios online, até que eu atinja o ponto no qual não precisarei mais trabalhar com a carteira assinada.

E durante essa jornada, quero ajudar o maior número de pessoas que eu conseguir.

Se você tiver esse mesmo objetivo, ou algum outro que envolva construir negócios online, eu quero te ajudar. E se daqui um tempo, eu ficar sabendo que pelo menos uma pessoa usou da minha ajuda pra alcançar um sonho, então tudo isso valeu a pena.

Vou compartilhar aqui cada passo que eu tomar. Cada obstáculo, cada recaída e cada conquista.

Meu objetivo é, antes de mais nada, ajudar pessoas a conquistar aquilo que durante tanto tempo pareceu impossível pra mim.

Sinta-se a vontade pra me visitar, e compartilhar suas histórias aqui também. Adoro receber sugestões e opiniões, então traga-as sempre que desejar.

E que de agora em diante, o caminho seja cheio de aventuras, e novos desenhos.

Seja muito bem vindo(a),

Um grande abraço!

Bruno Beraldo

  • Pamela Greco

    Que a sua jornada possa ser inspiração para muitas pessoas, que os frutos do investimento do seu conhecimento e do seu esforço possam contribuir para que outras pessoas possam semear seus sonhos e que você seja feliz, não como impositivo mas como forma de amor e gratidão pela vida.

    • Nem sei como agradecer toda a ajuda e apoio que recebo de você!
      Muito obrigado, sempre!!